Segunda mão

Sonia Racy

13 de janeiro de 2011 | 23h09

A areia retirada do leito do Tietê, um milhão de metros cúbicos por ano, será reciclada. Depois de anunciar que intensificará os trabalhos de desassoreamento no rio, Alckmin tenta agora diminuir impactos subsequentes às enchentes. Antes, o entulho seguia para lixão próximo a Itaquaquecetuba.

A licitação para colocar em prática o projeto de Amauri Pastorello, do Departamento de Águas e Energia Elétrica de SP, deve sair até o fim deste mês.

A saber: após tratada, a areia será vendida à construção civil. Além do retorno financeiro, representará menos impacto ao meio ambiente.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.