Saúde eleitoral, desafio de Dilma

Redação

09 de maio de 2009 | 06h00

O problema médico de Dilma Rousseff atrapalha o seu futuro político? A coluna foi atrás de três figurões do ramo. Suas respostas:

Antonio Lavareda, MCI:
“Atrapalha sim, porque ela ainda é pouco conhecida. A doença introduz a incerteza e cria um fato novo para o eleitor reavaliar.”

Marcia Cavallari, Ibope: “Tudo dependerá da gravidade da doença. Como está hoje, o impacto é quase nada. Mas se se agravar, o eleitor se lembrará de presidentes que eram vices, como Sarney ou Itamar, e a escolha do vice de sua chapa será fundamental.”

Ricardo Guedes, da Sensus: “Saúde precária não combina com a dureza de uma campanha presidencial. E os eleitores mais velhos ainda têm na memória o drama de Tancredo.”

Veja também:
mais imagensOcimar Versolato pilota coquetel de lançamento de linha de cosméticos
mais imagensBob Wolfenson lança livro “Cartas a um jovem fotógrafo”
documentoOutras notas no blog da coluna Direto da Fonte

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.