Samba doido

Sonia Racy

01 Fevereiro 2013 | 01h04

No mínimo bizarra, a carteira de clientes do Banco BVA, sob intervenção do BC. Tem até uma empresa chamada Termaq, cujo dono está preso por tráfico de mulheres. E correntista credor encarcerado por orgia com menores.

Existe também crédito de subtenentes e sargentos da Polícia Militar. Quem terá coragem de cobrar esses?

Doido 2

As caridades do BVA estão igualmente registradas. São R$ 60 milhões doados para a Legião da Boa Vontade e R$ 6 milhões à associação religiosa do Bom Jesus, entre outras.