Saída chinesa

Sonia Racy

26 de setembro de 2015 | 00h25

A Embraer comemora. Deverá capturar a maior parte dos contratos para fornecer 1.020 aviões para voos regionais (70 a 130 lugares) que a China comprará até 2034.

Ela já detém 80% daquele mercado.