Saída à grega

Sonia Racy

10 Julho 2015 | 01h02

Qualquer que seja o destino da Grécia – por questão de sobrevivência, o país deve ficar mesmo na zona do euro –, a Espanha não sofrerá mais nem menos que outros países da União Europeia. Mesmo ante um ataque especulativo, conforme querem fazer crer alguns políticos gregos.

À grega 2

“Além de a economia da Espanha estar melhorando nos últimos dois anos, as pessoas temerosas esquecem que quem defenderia o país contra pressões especulativas seria o Banco Central Europeu e não só o Banco de Espanha”, explicou ontem à coluna Iñigo de Mesa Vargas, secretário de Estado da Economia, após encerrar seminário do Santander em Madri.

À grega 3

Em tempo: 95% dos empregos criados na Espanha, nos últimos dois anos, estão na iniciativa privada.