Saco de bondades

Sonia Racy

05 de novembro de 2010 | 23h09

Ao sentar-se quinta-feira diante do juiz eleitoral para provar que sabe ler e escrever, Tiririca terá alternativas. Caso não consiga pegar no lápis, poderá ler, soletrar e até digitar no computador local.

A Justiça não quer dificultar a vida do palhaço, que alegou problemas motores na mão como justificativa para não ter escrito, de próprio punho, sua declaração eleitoral.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.