Roupa nova

Sonia Racy

05 de julho de 2013 | 01h04

A Delta criou uma nova empresa para poder participar de licitações: a Técnica Construção – que funciona em um escritório no mesmo endereço da Delta em São Paulo, com 19 funcionários.

Entre outras, ela já briga em pelo menos duas concorrências do governo Alckmin. Apresentando menor preço, está classificada em primeiro lugar.

Roupa 2

Na primeira, ela integra o consórcio Acqua, para executar, por meio de PPP, obras da Secretaria de Saneamento na bacia do rio Tietê. Valor? R$ 2 bilhões.

Na segunda, da Secretaria de Transportes, faz voo solo para duplicar dois trechos da rodovia SP-304, na região de Piracicaba. Valor? R$ 54,6 milhões.

Roupa 3

Os rivais acusam Fernando Cavendish de manobrar para tentar “burlar” norma da CGU que proíbe a Delta de tocar obras públicas. A mesma opinião têm juristas ouvidos pela coluna. “Pode não ser ilegal, mas é imoral”, ataca um deles.

A direção da Técnica tem visão diferente: “Nascemos com porte necessário para cumprir condições de mercado”, justificou Helvetio Rocha, diretor-executivo da empresa.

Roupa 4

Com patrimônio líquido de R$ 79 milhões (que, segundo Rocha, veio, parcialmente, de reserva de caixa da Delta), a Técnica nasceu, discretamente, em fevereiro. Segundo a empresa, com anuência de uma assembleia feita com credores da Delta – cujas dívidas somam R$ 200 milhões.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.