Rodrigo Maia chama de ‘pistoleiros’ autores de fake news contra ele

Sonia Racy

06 de abril de 2020 | 14h29

RODRIGO MAIA. FOTO: LUIS MACEDO/CÂMARA

Poucas horas após afirmar que “fake news está perdendo espaço” – em entrevista ao Canal Livre (Band), o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) foi alvo do artifício. Sem citar nomes, afirmou, em seu Twitter, na tarde desta segunda-feira (6), que “criaram uma conta falsa” com seu nome “para desinformar e mentir”.

A postagem em questão é um tweet de uma conta falsa no qual Maia aparece defendendo que o fundo eleitoral deve ser mantido intacto ainda que isso custe “a vida de alguns brasileiros”. O post fake partiu da conta @RobrigoMaia (com a letra “B” no lugar do “D”) e foi suspenso por violar as regras da rede social.

“Fake news é coisa de covarde. Criaram uma conta falsa com meu nome para desinformar e mentir. Pra esses pistoleiros digo: os cães ladram, mas a caravana passa. Vamos em frente que temos uma crise grave (que eles não acreditam porque a terra é plana e o vírus é conspiração)”.

Na noite desse domingo (5), no Canal Livre,  Rodrigo Maia atribuiu o comando do ‘gabinete do ódio’ – QG da militância virtual bolsonarista -, ao professor Olavo de Carvalho, que mora nos EUA.

O presidente da Câmara ficou no topo dos assuntos do momento no Brasil no Twitter, hoje. A hashtag #impeachmentRodrigoMaia teve mais de 15 mil tuítes, entre eles de Olavo de Carvalho, que rebateu Maia e negou que comanda o ‘gabinete do ódio’.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: