Rodrigo Maia articula sua sucessão na Câmara

Sonia Racy

10 de janeiro de 2020 | 00h01

RODRIGO MAIA. FOTO: LUIS MACEDO/CÂMARA

 

Leia Também

Na Frente

O DEM, que hoje preside o Senado e a Câmara, dá como certa a perda de uma das casas no ano que vem. Enquanto Davi Alcolumbre tenta um terceiro mandato a todo custo, Rodrigo Maia articula para fazer o seu sucessor – hoje o preferido seria Agnaldo Ribeiro e o segundo, Fernando Bezerra Filho.

Maia não cogita
disputar governo do Rio 

Ao que apurou a coluna, Maia, que retornou ontem de Miami, já teria confessado preocupação com o seu day after, após deixar a presidência. Não tem intenção de disputar o Governo do Rio, por exemplo, nem concorrer ao Senado. E para ocupar ministério, o DEM precisaria superar mágoa que tem com Bolsonaro por este não ter ouvido o partido na montagem do 1.º escalão.

Bolsonaro só fala em
mudanças depois do Carnaval

Bolsonaro, que descansa no Guarujá até terça, só deve mexer no seu time após o Carnaval. Até lá, não dá “um pio”. O líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho, também tirou uns dias de folga e foi para Porto de Galinhas. Cotado para trocar de lugar com Alcolumbre, no ano que vem, ele desconversa sobre as especulações.

“Encontro o presidente Bolsonaro só em fevereiro. A menos que ele me chame antes”, brincou FBC.

Reta final para sugestões
sobre juiz de garantias

Promotorias, defensorias e advogados em geral têm até hoje para entregar, ao Conselho Nacional de Justiça, sugestões para uma declaração formal da instituição sobre a criação do juiz de garantias.

O grupo de trabalho criado por Dias Toffoli, que preside o conselho, apresenta sua proposta normativa até dia 15.

Barulho em templos
terá limite menor

Está quase pronto, nas mãos do relator Luiz Pastore, no Senado, projeto que limita o barulho nos cultos e celebrações das igrejas do País. A ideia é unificar os limites aprovados em vários Estados.

Nas zonas residenciais, o novo limite passa a ser de 75 decibéis entre 6 da manhã e 22 horas e 65 decibéis entre 22 e 6 horas. Equivale a pouco mais que o barulho da praça de alimentação de um shopping no almoço. Como comparação, um show de rock pode chegar aos 130 decibéis.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: