Rodízio Presidencial

Redação

28 de novembro de 2008 | 06h00

Talvez tenham sido as companhias. No jantar com 18 sindicalistas e cinco ministros, na quarta, o presidente Lula se mostrou bastante “simpático” à correção na tabela de Imposto de Renda.

Mais que isso: sugeriu que as centrais criem um grupo e negociem o assunto com Guido Mantega. A correção foi um dos cinco pontos levados pelos sindicalistas ao presidente, em churrasco na Granja do Torto, para reduzir os efeitos da crise.

Lula, recém-chegado de Santa Catarina, mostrou-se a favor de liberar o FGTS para os que perderam as casas nas enchentes. E avisou que colocaria um avião da FAB à disposição das centrais que organizarem o recolhimento de doações.

No cardápio, frango, linguiça e carne. O presidente serviu a todos a cachaça “dada por José Alencar”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.