Ritmo chinês

Sonia Racy

20 Janeiro 2015 | 01h06

Nos últimos dez anos, o salário do trabalhador chinês praticamente triplicou. São dados inéditos de levantamento da Abrinq e do Conselho Internacional da Indústria de Brinquedos.

Em Xangai, diz o estudo, o custo mensal da mão de obra saltou de US$ 100, em 2005, para US$ 300 – algo como R$ 790, próximo do salário mínimo brasileiro.