Rio tira o pé das enchentes?

Sonia Racy

15 de abril de 2010 | 08h02

Sergio Cabral recebe Guido Mantega hoje, no Rio, para bater o martelo no Plano de Ajuste Fiscal para o Estado. Que prevê um aumento de R$ 5,3 bilhões em seu espaço de endividamento.

Desse valor, R$ 1 bilhão vai para moradia, R$ 900 milhões vão para trens e outro R$ 1 bi para saneamento. Num processo que Cabral define como “nova visão urbana” , integrando ações em transporte e habitação.

Detalhe: os recursos para habitação serão reforçados por nova linha do FGTS, anunciada por Carlos Lupi, do Trabalho.

Tendências: