Ricardo Barros deve ser o ministro da Saúde de Temer

Sonia Racy

08 de maio de 2016 | 21h06

Reunião de um grupo de médicos na tarde deste domingo, em São Paulo, concluiu com a indicação, que já contaria com o OK de Michel Temer, do deputado Ricardo Barros, do PP do Paraná, para um futuro Ministério da Saúde.

Barros, engenheiro civil por profissão, é vice-presidente do partido e casado com Cida Borghetti, vice do governador do Paraná, o tucano Beto Richa. Filho de um ex-prefeito de Maringá, sua terra natal, e irmão do atual prefeito da cidade, ele foi, até 2014, secretário de Industria e Comercio e assuntos do Mercosul do governo estadual.

Reconhecido como bom articulador, sua indicação, tida como praticamente certa, agrada ao partido e está sendo bem recebida pela classe médica — tanto que, no encontro de hoje, foi acertada a criaçã0 de comissões de apoio para ajudá-lo na gestão ministerial.

O nome de Barros veio à discussão depois que Raul Cutait, apontado inicialmente por Temer, acabou não sendo nomeado, por divergências entre ele e o PP quanto aos critérios de nomeações para a área da Saúde de um eventual governo Temer.