Rever programas sociais ‘é discriminação’, diz peemedebista

Sonia Racy

02 de fevereiro de 2016 | 01h22

Moreira Franco não gostou da ideia de Valdir Simão, do Planejamento, de “tirar do piloto automático” alguns programas federais – inclusive sociais, como Farmácia Popular, UPAs e Pró-Infância. “Promover uma espécie de auditoria nesses programas é coisa panfletária”.

Segundo o ex-ministro, o programa “Uma Ponte para o Futuro”, do PMDB, já sugeriu uma revisão crítica semelhante “em todas as áreas”.

E, em seu entender, “focar essa revisão na área social é discriminação”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.