Correm rumores pela Renova Energia de que há delação em curso

Sonia Racy

11 de abril de 2019 | 00h55

Luzes acesas

A energia anda alta na empresa Renova Energia, que tem como acionista a Cemig. Correm pelos corredores da companhia de geração de energia elétrica renovável rumores de que existe uma delação em curso, feita por gente da equipe, envolvendo R$ 40 milhões.

Consultada, a assessoria da empresa informa que ela não tem conhecimento de qualquer coisa nesse sentido e que estranha a veiculação dessa informação justamente quando está em negociação para reestruturação financeira e societária.

Pós-Suzano

A Defensoria Pública pediu, a Secretaria da Justiça concordou e uma equipe multidisciplinar de nove médicos estará hoje em Suzano fazendo avaliação física e psicológica de 11 alunos feridos no ataque à escola Raul Brasil, em março.

Para não interromper esse acompanhamento, a prefeitura da cidade cederá uma instalação pública para o Centro de Apoio à Vítima, da Secretaria da Justiça.

Ordem na casa

Além das três estatais paulistas que já têm programa de demissão voluntária em andamento – Emplasa, Codasp e CPOS –, a Prodesp contabilizou 142 adesões em seu PDV que foi encerrado no final do ano passado.

A empresa espera poupar cerca de R$ 20 milhões por ano em despesas com pessoal.

Ordem 2

As companhias estão no pacote de fusões entregue à Assembleia, junto com Dersa e Imprensa Oficial. As demissões voluntárias são parte do plano em andamento para fusão ou incorporação das estatais.

A regra é clara

Bia Doria, que preside o conselho do Fundo Social de SP, escapou de tomar multa por ter faltado a uma reunião do secretariado, no sábado. Justificou a ausência de antemão.

No fim, o multado foi… o próprio governador – Doria se atrasou por 11 minutos em uma reunião com o embaixador da China. Pagou R$200 do próprio bolso.

Mamma mia

Giancarlo Giannini fará par com Marieta Severo em Duetto, longa de Vicente Amorim, que teve cenas rodadas no Rio na última semana. Fluente em italiano, Marieta passa 80% do filme falando a língua de seu parceiro. A produção terá ainda passagens na região da Apúlia, no sul da Itália.

Entrevista na chapa

Em um encontro épico da noite paulistana, Rogério Fasano entrevistou Erick Jacquin. Entre garrafas de vinho, alfinetadas e gargalhadas, o chef contou que vai abrir novo restaurante de cozinha francesa. E aproveitou para reclamar com Rogério sobre “por que nunca quis contratá-lo”.

Resposta direta: “Nunca roubei ninguém de ninguém!”

Na chapa 2

Jacquin confessou que a profissão escolhida, que ele acreditava ser uma máquina de fazer dinheiro, é na verdade uma máquina de fazer problemas. A conversa está no Corriere Fasano que será lançado dia 23 no Baretto.

Leia mais notas da coluna:
+ Os 100 dias de Bolsonaro estão ‘dentro do esperado’, diz Barômetro
+ Justiça Eleitoral paulista se prepara para receber ações de corrupção

Tudo o que sabemos sobre:

energia eólica

Tendências: