Relógios, filantropia e bola em campo

Relógios, filantropia e bola em campo

Sonia Racy

15 de novembro de 2012 | 02h30

PAULO GIANDALIA/ESTADÃO

No Brasil para a inauguração da relojoaria IWC, no Shopping JK,  Luís Figo não quis passear. “Estou aqui a trabalho”, afirmou o ex-craque português à coluna, anteontem, antes do evento. Atual cartola da Inter de Milão, aproveitou para divulgar seu projeto social (o Dream Football), comentar a Copa de 2014 e dar força a Ronaldo em seu programa de emagrecimento: “É muito importante cuidar da saúde”.

A seguir, os melhores momentos do bate-papo.

O que acha da preparação do Brasil para a Copa de 2014?

É um evento extraordinário para o País, desde que se saiba rentabilizar, posteriormente, o investimento feito. Não tenho dúvidas de que a Copa – por causa da paixão que existe pelo futebol no Brasil – será um êxito. Em termos de estádios, vai estar tudo em ordem. O turismo deve ser um sucesso. O problema será aproveitar a infraestrutura depois.

Como foi a realização, em Portugal, da Eurocopa?

Quando organizamos, foi espetacular. O problema se deu depois. Muitos dos estádios não foram usados, porque as equipes não chegavam à primeira divisão. Isso pode ser um desafio.

O que é o Dream Football?

Nossa ideia é criar uma plataforma digital para todos os jovens que não têm oportunidade de serem vistos pelos grandes clubes. Dessa forma, eles podem treinar e mostrar seus talentos, colocando vídeos no site. Depois, nós acionamos a parceria que temos com os times, passamos a informação e, se o clube achar interessante, chama o jogador.

Acha que Felipão poderia voltar a treinar Portugal?

Sim. Ele deixou uma boa imagem. Uma passagem importante na seleção. Mas o futebol muda de um dia para o outro. Por isso, nunca se pode dizer nunca.

Caso o Corinthians chegue a uma final com o Chelsea, no Mundial do Japão, tem algum palpite sobre quem deve vencer?

Não sei… Vai ser um teste muito duro (risos). Para as duas equipes.

Você, que jogou com Ronaldo, o que acha do programa de emagrecimento pelo qual vem passando?

Falo com Ronaldo sempre, ele me contou que está tentando perder peso. Acho bom, pois é muito importante cuidar da saúde.

Na sua opinião, quem são os maiores jogadores da atualidade?

Messi e Cristiano Ronaldo.

Como surgiu essa sua paixão por relógios de pulso?

Desde que aprendi a ver as horas. Os homens têm particular gosto por esse acessório. No começo, não tinha condições financeiras. Depois, comecei a consumi-los. São objetos de desejo. /MARILIA NEUSTEIN

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.