Relax

Sonia Racy

05 de março de 2013 | 01h03

Se o STF quiser mesmo ouvir o corretor brasileiro Waldyr da Silva Prado Neto, investigado por supostos ganhos financeiros com uso de informações privilegiadas na operação de compra do Burger King pelo 3G Capital – conforme publicou o Valor–, é fácil.

E só procurá-lo na sua casa de praia em Trancoso.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: