Rei em Israel

Sonia Racy

06 de setembro de 2011 | 23h01

Roberto Carlos bateu o martelo. Vai mesmo cantar Jerusalém de Ouro em hebraico, hoje, no anfiteatro Sultan’s Pool.

O Rei ficou mais seguro quanto à letra, que vem treinando com a ajuda de um tradutor, e também com o clima na cidade sagrada. A música era dúvida, porque poderia ferir suscetibilidades dos dois lados no conflito israelo-palestino.

O cantor está em ritmo de pura concentração. Só deixou o quarto para as gravações do especial da Globo e para encontros e eventos costurados por seu empresário, Dody Sirena.

E até a Fundação Cacique Cobra Coral, famosa por “domesticar” o tempo, está na sequíssima Jerusalém para o show de Roberto Carlos. Adelaide Scritori e Osmar Santos vieram de Zurique, onde prestam serviço para uma empresa de esqui desesperada com o degelo nos Alpes suíços.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: