Rato na rede

Sonia Racy

07 Dezembro 2014 | 01h05

Tem gente usando o site do STJ para “dar sentença”… no Facebook. Em processo iniciado em 2000, um cidadão tentou processar a Coca-Cola alegando ter encontrado um rato em uma garrafa do refrigerante. O TJ paulista, após ouvir o Instituto de Criminalística, derrubou a ação por achá-la improcedente.

O post distribuído pelo STJ no Facebook definia a acusação como “boato” – e recebeu muitas críticas, p0rque ainda cabe recurso.

O tribunal, então, se corrigiu: “Até aqui, boato!”