Rastros

Sonia Racy

29 de junho de 2012 | 01h08

Depois de quase seis anos de trabalho, o MPE finalmente conseguiu reunir documentos no exterior que provariam por onde passeou o dinheiro do Banco Santos fora das fronteiras brasileiras – até seu retorno para empresas ligadas a Edemar Cid Ferreira.

Tudo para tentar derrubar a tese do ex-banqueiro, que alega ter comprado obras de arte e uma mansão com recursos pessoais, e não do banco. A papelada foi para o Tribunal de Justiça de São Paulo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.