‘Quero escrever uma peça e atuar nela’, diz Thai de Melo Bufrem

‘Quero escrever uma peça e atuar nela’, diz Thai de Melo Bufrem

Sonia Racy

26 de setembro de 2021 | 06h50

Thai de Melo Bufrem. Foto: Silvana Garzaro

Thai de Melo Bufrem tem conquistado as redes sociais com humor ácido e muita identidade de moda. A roraimense, que se mudou para Curitiba aos 15 anos, teve uma trajetória um pouco diferente do que vemos nas redes sociais.

Ela começou a trabalhar depois dos 30 anos, como vendedora de uma conhecida loja em um shopping de Curitiba, onde mora, ou melhor, onde passa metade da semana, com seu marido e filhos. A outra metade está em São Paulo, trabalhando e “aproveitando minhas amigas. Fui mãe muito cedo, dei um golpe no meu marido”, brinca.

E foi nesse período como vendedora que Thai viu aflorar seu lado humorístico. “Eu vestia os looks que queria vender e gravava programa no provador, tudo por meio do meu Instagram, que até então era fechado”, conta. Depois de dois anos, Insta bombando, ela passou de vendedora à referência de estilo.

Apesar de não usar seu canal para fazer ativismo, ela acaba dando exemplo. “Meu pai sempre falou que quem manda é quem assina o cheque e sigo atrás dessa independência”. Outro assunto abordado pela influenciadora é a anorexia, que a acompanhou por muito tempo: ela faz questão de tocar no assunto, superado há dois anos.

Thai tem aproveitado seu momento. E assim como o humor – que para ela tem tudo a ver com timing – já decidiu que sua fama, como dizia o artista americano Andy Warhol, não será limitada a somente 15 minutos. “Tenho planos de escrever uma peça e atuar nela”. Confira momentos da conversa:

Sempre foi engraçada ou foi algo que descobriu mais tarde?
O humor nasce com você, não é algo que você aprenda. É timing. A Ingrid Guimarães falou uma coisa em que acredito muito: ser humorista é ver a vida em um tempo diferente.

Quem te assiste vê uma mulher com autoestima e confiança. Afinal, só ri de si mesmo quem é muito confiante. Sempre foi assim?
Tive anorexia a vida inteira, me libertei faz dois anos. Era vendedora de loja em Curitiba, sai de uma vida completamente tradicional, esperada, roteirizada e fui fazer meu próprio roteiro, literalmente. É muito importante a gente escrever o nosso próprio roteiro.

Essa é a mensagem?
Acho que é desmistificar que sucesso é estar na capa de uma revista. É uma forma de sucesso, mas não é só essa forma. Cada um tem a sua. Às vezes tem uma mulher que é super bem resolvida como mãe, tá em casa com as crianças e tá ótimo, se isso faz sentido tá ótimo. Se pra mim não faz, vou atrás da vida que quero ter.

Diz que não vai deixar seus 15 minutos de fama acabarem. Quais são os planos além da internet?
Coloquei na cabeça que quero escrever uma peça sobre minha trajetória e atuar nela.
/SOFIA PATSCH

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.