Quem pode?

Sonia Racy

05 de junho de 2015 | 01h04

Há quem defenda que o candidato à presidência da Fifa no lugar de Joseph Blatter deve ter o apoio das cinco federações de futebol do planeta.
Eduardo Carlezzo, advogado do Boca Juniors no recente caso do gás de pimenta, vai além. Diz que o postulante tem que ter atuado, como jogador ou dirigente, durante pelo menos dois dos últimos cinco anos.