Quatro patas

Sonia Racy

14 de abril de 2011 | 23h08

Ao se deparar com o levantamento de contas feito pela nova diretoria do Jockey, é difícil entender porque tanta briga para presidi-lo. Com passivo tributário de R$ 323 milhões, o Jockey chegou a “faturar” mais de R$ 400 milhões em 2010. Mas deste total, só 25% vem diretamente do turfe.

Aluguéis, eventos, arrendamentos de imóveis, mensalidades e taxas de serviço significam algo como 75% do total.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: