Quase de casa

Quase de casa

Sonia Racy

30 de outubro de 2013 | 01h11

Conhecida pela tão debatida “barriga negativa” Candice Swanepoel, angel da Victoria’s Secret, vai desfilar hoje para a Forum, no SPFW. A top sul-africana, de 25 anos, conversou com a coluna sobre a ditadura da magreza e falou de sua relação com o País, que considera “sua casa”. A moça, que namora o modelo brasileiro Hermann Nicoli, até arriscou frases em português.

Pegou alguma mania brasileira com seu namorado?

Várias (risos). O jeito como cozinho, falo, penso… Estamos juntos desde os 17 anos. Crescemos juntos e, por isso, temos as mesmas manias.

Vem sempre ao Brasil?

Adoro vir para descansar e já considero o País minha casa. Quando não estou trabalhando, estou aqui.

Gosta da moda brasileira?

Muito. A silhueta é muito diferente da que temos nos EUA e no resto do mundo. É desenhada para mulheres brasileiras e seu lifestyle, que eu amo. Adoro fazer compras no Brasil.

Como é ser um exemplo para as adolescentes, que querem ter o corpo “perfeito”, igual ao seu?

Tenho muita honra de as pessoas usarem meu corpo como exemplo. Ele é meu instrumento de trabalho. Mas, por outro lado, é uma responsabilidade que não quero para mim. Não quero que as adolescentes pensem que, fazendo uma dieta extrema, vão chegar ao corpo perfeito, porque não é assim. Cada corpo trabalha de forma diferente; meu corpo é uma mistura de genética, alimentação saudável e prática regular de exercícios físicos. Não quero ser responsável por uma adolescente adquirir transtornos alimentares. É importante que cada mulher conheça seu tipo de corpo e trabalhe em cima disso – para deixá-lo cada vez melhor.

Você é conhecida por ser a angel da Victoria’s Secret que tem “barriga negativa”. Como lida com as críticas sobre o assunto?

No começo, não lidava muito bem, mas, agora, entendi que “barriga negativa” é apenas um termo. Eu me sinto muito bem e forte para me importar com o que as outras pessoas pensam.

Como é sua rotina de alimentação?

Busco comer coisas saudáveis e que sei que meu corpo necessita, como carnes e carboidratos. Tenho o metabolismo muito acelerado, por isso, me alimento várias vezes ao dia. Sempre pensei que é muito importante descobrir qual o seu biotipo, malhar e comer de acordo com as necessidades do seu organismo. /SOFIA PATSCH

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.