Qual o problema?

Sonia Racy

10 de janeiro de 2014 | 01h01

Sobre a afirmação de Luis Paulo Rosenberg à revista norte-americana New Yorker de que o Corinthians seria como uma casa de prostituição – e a ação de conselheiros que querem expulsar o vice-presidente do clube justamente por isso –,Sérgio Alvarenga, assessor de Mário Gobbi, presidente do Timão, afirma: “Não sei se a comparação é cabível, mas também não sei por que seria tão ofensiva”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.