Punho aberto

Sonia Racy

09 de março de 2011 | 23h06

Dilma detesta ser “atropelada” por microfones e gravadores. E, na semana passada fez um apelo: “Gente, vamos nos comportar e fazer um quebra-queixo… leve”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.