Público ou privado?

Sonia Racy

19 de fevereiro de 2014 | 01h03

A reunião fechada entre galeristas e colecionadores com Angelo Oswaldo, anteontem no MAM, não melhorou o mal-estar instalado no setor por causa do Estatuto de Museus.

O presidente do Ibram reafirmou sua intenção de manter o decreto publicado por Dilma em outubro, que possibilita que obras de arte de coleções privadas sejam declaradas de interesse público. Ele admite aprimoramento do texto, mas só depois de sua implementação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.