Publicitário do Aliança acredita ter contraído coronavírus com Wajngarten

Publicitário do Aliança acredita ter contraído coronavírus com Wajngarten

Sonia Racy

18 de março de 2020 | 00h40

SÉRGIO LIMA – FOTO: CORTESIA

Em quarentena em sua casa em SP, Sérgio Lima, publicitário do Aliança – partido em criação por Bolsonaro – acha que pegou coronavírus com Fábio Wajngarten, na viagem em que acompanharam Bolsonaro aos EUA. Os dois jantaram juntos e dividiram o mesmo carro. Confinados, falam por WhatsApp. “Estamos bem. Já já posso até fazer exercícios físicos em casa”.

Os dois integram lista de 13 infectados da comitiva presidencial. Do ‘capitão’, Sérgio ouviu: “Combatente, descanse e depois volte com força total”.

O céu é o limite

O cearense Carlos Vale, dono da CVPAR, levou susto ontem em Trancoso. Sua mulher Renata, com de coronavírus, foi a razão pela qual a PM quase levou preso um dos funcionários que trabalham na casa do casal em Itapororoca. A PM justificou: ninguém pode sair da casa. O caso tomou tal proporção que até o governador Rui Costa, da Bahia, se pronunciou contra Vale.

Explicação

Diante disso, o casal escreveu carta a todos trancosenses. Trechos: “Os signatários, por estarem totalmente assintomáticos e sem confirmação de contaminação, deslocaram-se de São Paulo para sua residência em Itapororoca, na quinta-feira. Dia seguinte, um dos signatários (Carlos) recebeu o resultado “negativo”. No sábado, porém, o outro signatário (Renata) testou positivo”.

“Tomamos todos procedimentos e protocolos recomendados pelos órgãos de saúde pública, inclusive contato com o secretário da Saúde do Município e acesso da Anvisa à casa”. Registram também que teste feitos, descobriu-se “dois funcionários contaminados”.

Liquidez corona

O Santander decidiu ontem pagar o 13º salário de seus funcionários no fim de abril.

Pandora

Grandes comemorações no Itaú. O seu fundo Itaú Hedge Plus registrou rentabilidade de 10,42% entre 1 e 12 de março. O benchmark desse tipo de fundo, medido pela Andima, no mesmo período, foi de 7,66% negativos…

Desafinados

Professores e alunos das escolas do Theatro Municipal são contra o projeto de Lei – que extingue a Fundação Municipal – ser votado hoje na Câmara. “Isso é revoltante, bem no meio a crise do covid-19”, diz o regente da orquestra infantojuvenil, Daniel Cornejo. Grupo é contra as mudanças propostas pela secretaria de Cultura.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.