PT faz as contas sobre CPI contra Fabrício Queiroz

PT faz as contas sobre CPI contra Fabrício Queiroz

Sonia Racy

22 de janeiro de 2019 | 00h55

FABRÍCIO QUEIROZ, EM ENTREVISTA AO SBT. FOTO: REPRODUÇÃO/SBT

FABRÍCIO QUEIROZ, EM ENTREVISTA AO SBT. FOTO: REPRODUÇÃO/SBT

O PT faz as contas sobre impasses a enfrentar, caso tente uma CPI sobre o ex-motorista Fabrício Queiroz.

Primeiro: dificilmente ela seria instalada no Senado, onde Flávio Bolsonaro está assumindo mandato. O partido, com seis senadores na bancada, precisará de 27 assinaturas. “A CPI teria mais chance se proposta na Câmara”, diz uma fonte do partido.

Endosso

Outra dificuldade no Senado seria o apoio tácito do PT a Renan Calheiros, que saiu em defesa de Flávio, para a presidência do Senado.

Apoio que só não foi anunciado porque… Renan não se lançou oficialmente. “No Senado, primeiro se elege o presidente e depois ele se candidata”, sentencia um parlamentar.

Leia mais notas da coluna:
‘Os militares se prepararam para o País, os partidos não’, diz historiador
Eduardo Bolsonaro critica restrição do WhatsApp a 5 destinatários