PSL não deve recorrer à Justiça por votação aberta no Senado

Sonia Racy

09 Janeiro 2019 | 01h00

MAJOR OLIMPIO. FOTO: GABRIELA KOROSSY/CÂMARA DOS DEPUTADOS

MAJOR OLIMPIO. FOTO: GABRIELA KOROSSY/CÂMARA DOS DEPUTADOS

Apesar da intenção da Mesa do Senado de ignorar a decisão de Marco Aurélio, do STF, e manter secreta a votação para o comando da Casa, em fevereiro, o PSL não deve recorrer à Justiça.

A avaliação do partido, que quer lançar o senador eleito Major Olímpio na disputa contra Renan, é que cabe ao STF agir em caso de descumprimento de sua decisão.

É possível que Toffoli se manifeste sobre o caso esta semana. O MDB, de Renan, e o Solidariedade entraram com recurso para que a decisão de Marco Aurélio seja cassada.

Leia mais notas da coluna:
Bruno Covas relança edital de concessão do Ibirapuera
Em três dias de depoimentos, Palocci busca acordo com procuradores no DF