Psicóloga relata evacuação de Inhotim quando barragem rompeu

Sonia Racy

29 de janeiro de 2019 | 00h40

A psicóloga Marina Smith estava em Inhotim quando a barragem de Brumadinho se rompeu. “Ouvi sobre rompimento na conversa de rádio de um funcionário para o outro”, conta. A orientação foi que todos fossem para a recepção do parque. “Estávamos voltando da instalação O som da terra na qual microfones são instalados em um buraco de 200 metros quando nos avisaram”.

Marina e família não voltaram para Brumadinho. Deixaram seus pertences no hotel e seguiram direto para Belo Horizonte com a roupa do corpo.

Leia mais notas da coluna:
Marca de cosméticos faz campanha-protesto por Brumadinho com atores enlameados
Missão israelense já trabalha na localização de corpos em Brumadinho