PSDB terá 500 candidatos a prefeito no Estado de São Paulo

PSDB terá 500 candidatos a prefeito no Estado de São Paulo

Sonia Racy

26 de junho de 2020 | 00h48

MARCO VINHOLI – IARA MORSELLI/ESTADÃO

Com o avanço do coronavírus no interior, quem assumiu a linha de frente no combate à pandemia em São Paulo foi Marco Vinholi, o mais jovem integrante do primeiro escalão do governo do Estado. Aos 36 anos, o secretario de Desenvolvimento Regional bem como a secretaria de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen (a segunda mais jovem, 40 anos), são as duas maiores apostas políticas de João Doria para 2022.

Um dos poucos secretários com gabinete fixo no Bandeirantes, Vinholi também preside o PSDB paulista – tem ampla sala na sede do partido no Jardins e um gabinete na sede da secretaria, na Rua Rangel Pestana. Eleição? “Não temos tratado de campanha no PSDB”, desconversou o tucano à coluna. Ainda assim, segundo ele, a sigla vai lançar 500 candidatos a prefeito este ano, um volume grande levando em consideração que São Paulo tem 645 municípios. Trata-se de recorde. Para o secretário, a campanha à reeleição de Bruno Covas na capital tem que ser “a prioridade máxima” do PSDB nacional, o que significa receber a mais generosa fatia do Fundo Eleitoral da legenda.

Sobre a pandemia, o tucano confirma que o vírus “acelera no interior”, mas revelou que, anteontem, 53 prefeituras fecharam o comércio por conta própria mesmo sem configurar da chamada área vermelha estabelecida por Doria. “O interior tem um crescimento (de infectados) 30% maior que a capital”, contou. Vinholi defende o modelo heterogêneo de abertura e disse que, por meio dele, o governo conseguiu aumentar a capacidade hospitalar no interior.

Nomes de tucanos que, segundo ele, se destacam na oposição a Bolsonaro? FHC e Doria./ PEDRO VENCESLAU

Tudo o que sabemos sobre:

Marco Vinholi

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: