Prova que vale

Sonia Racy

23 Agosto 2015 | 00h33

Ainda que as defesas consigam, como estão tentando, derrubar as delações no STJ, Sergio Moro entende que as sentenças anunciadas na Lava Jato continuam de pé. Pelo menos, é o que vem à tona por meio do documento em que o juiz condenou Nestor Cerveró, Júlio Camargo e Fernando Soares, revelado semana passada.

Para Moro, toda vez que as declarações “encontrarem corroboração de provas independentes”, fica evidente “o ‘valor probatório’ do conjunto”. Mais adiante, o juiz repetiu: “Foi o conjunto robusto (das provas) que deu causa às colaborações (delações)”– e não vice-versa.