Proposta ‘ilíquida’

Redação

14 de março de 2009 | 06h00

A proposta levada ontem por Guido Mantega à reunião dos Brics – grupo formado por Brasil, Rússia, Índia e China – é no mínimo curiosa.
Antes de embarcar para Londres, o ministro revelou que iria propor a adoção de um mecanismo internacional de regulação do fluxo de capitais entre os países. Defende que países que estão recebendo excesso de capital coloquem parte do montante no FMI.

O fundo do fundo teria a função de emprestar os recursos para os países, entre eles os emergentes, que, com a crise, sofreram com a saída de capitais.

É, propor não ofende.

Leia outras notas no blog da coluna Direto da Fonte

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.