Professoras de Direito da USP protestam contra “Clube do Bolinha”

Sonia Racy

27 Setembro 2018 | 00h50

Professoras e alunas de Direito da USP se rebelaram contra quem organizou a comemoração dos 30 anos da Constituição de 1988. Motivo? Os 30 panelistas são todos homens brancos. Duas mulheres são mediadoras.

Ao se queixarem, ouviram que – acredite se quiser – não havia opção de mulheres. Elaboraram então lista com 100 indicações, todas doutoras. Há alguns negros na relação.

A lista, chamada “30 Anos de Constituição no Clube do Bolinha”, será divulgada hoje.

Leia mais notas na coluna:
Na contramão da crise, arrecadação do município já cresceu 10% no ano
Bruno Covas anuncia apoio a Covas Neto, do Podemos, para o Senado

Mais conteúdo sobre:

USP [Universidade de São Paulo]