Procurador critica CPI da Covid: ‘Testemunhas massacradas’

Procurador critica CPI da Covid: ‘Testemunhas massacradas’

Sonia Racy

04 de junho de 2021 | 00h45

César Dario Mariano da Silva. FOTO: DIVULGAÇÃO

As sessões CPI da Pandemia provocaram reação enfática de César Dario Mariano da Silva. O procurador do MP paulista compara as investidas dos parlamentares ao… tribunal do santo ofício da Inquisição. “Testemunhas são constrangidas a falar o que alguns senadores querem. Caso contrário, são massacradas e humilhadas”, destacou nas redes sociais.

Disse que ali “a busca da verdade é um mero detalhe”, resultando em “provas imprestáveis juridicamente”.

O professor da Escola Superior do MP de SP ainda, no post, sugere que estudantes assistam às sessões para aprender… como não agir.

Triste realidade

Por outro lado, a busca da verdade tampouco é perseguida por meio de parlamentares que torcem e operam de maneira clara para que a “testemunha” se saia bem.

Os senadores da situação levantam a bola para o depoente cortar – seja ela uma bola real, baseada na “ciência”, ou não.

Palavra

A Ajor – Associação de Jornalismo Digital – será lançada segunda, no Dia Nacional da Liberdade da Imprensa, contando com 30 organizações fundadoras.

Destas, 20 lideradas por mulheres e pessoas negras.

Corazón

A reserva de quartos de hotéis para o Dia dos Namorados está 60% maior em relação ao ano passado, na rede Accor no Brasil.

Itália por aqui

O CCBB-SP se prepara para exibir em setembro a exposição Morandi, uma retrospectiva inédita da obra do italiano Giorgio Morandi – que integra a programação paralela da 34ª Bienal de SP.

Com curadoria de Alberto Salvadori e ainda co-curadoria de Giancarlo Maraniello, a mostra destaca os últimos anos da produção do artista – entre 1940 e 1960.

Vem aí

Textos raros da escritora Zelda Fitzgerald saem pela editora Ponto Edita.

Concebida como um livro de artista, a edição apresenta escritos menos conhecidos da americana em diálogo com as intervenções artísticas da escritora Clara Averbuck e da cartunista Bruna Maia.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.