Procon-SP requer, em anteprojeto na Assembléia, que seguradoras de saúde justifiquem reajustes

Sonia Racy

15 de dezembro de 2021 | 02h45

FERNANDO CAPEZ. FOTO: DANIELA RAMIRO/ESTADÃO

FERNANDO CAPEZ. FOTO: DANIELA RAMIRO/ESTADÃO

Dizendo-se cansado de pedir e não ser ouvido, o Procon-SP decidiu tentar, via Assembleia Legislativa, fazer as operadoras de saúde demonstrarem como são aplicados os reajustes de mensalidades. Fernando Capez, diretor do órgão, acaba de entregar anteprojeto de lei a Jorge Wilson – que preside, na Alesp, a Comissão de Defesa dos Direitos do Consumidor. 

No projeto, o Procon pede que as seguradoras detalhem os itens que compõem o valor da cobrança em porcentagem e em valores reais no boleto entregue ao segurado. E que informem, no site, custos e despesas do ano anterior que justifiquem os reajustes. 

 Horizonte

Pandemia, fake news, inflação e eleições à parte, é a situação da indústria que vem chamando a atenção da equipe de Josué Gomes – que em janeiro recebe, de Paulo Skaf, o comando da Fiesp. O tema, tudo indica, deve ser central na nova gestão. Só como exemplo: até 2010 o setor industrial, com São Paulo à frente, representava algo em torno de 27% do PIB nacional. Em 2020, ficou nos 20,4%. 

Ajuda externa

A partir de janeiro, o projeto Todaz na Política 2022 quer criar uma conexão “entre todas as candidatas do Brasil”, aproximando negras, indígenas, quilombolas e LGBTQIA+ de profissionais de comunicação de uma rede internacional. 

 De que forma? Num curso de mais de 30 aulas às suas assessorias, de janeiro a abril. Integrantes desses grupos já atuaram em eleições do Peru, Colômbia e Honduras.

China aqui

Paralisada na pandemia, a ‘ChinaTown’ paulistana deve ser retomada no ano que vem. Thomas Law, da Associação dos Empreendedores do Circuito das Compras, acaba de voltar de congresso mundial em Barcelona com inovações tecnológicas para modernizar o projeto. A ideia é uma PPP com empresas junto ao Mercado Municipal, introduzindo parque, museu e passarelas com temática chinesa.

Mídia e museu

O Museu Nacional da República e a Academia de Curadoria, em Brasília, inauguram nesta quinta a exposição virtual “Artemidiamuseu”, com obras de arte digital dos artistas Giselle Beiguelman, Vitória Cribb e Bruno Kowalski. A coletiva reunirá nove obras do campo da arte digital contemporânea e ocupará a nova plataforma on-line do museu.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.