Procon notifica Caixa para que instituição identifique vencedor da Mega da Virada

Procon notifica Caixa para que instituição identifique vencedor da Mega da Virada

Sonia Racy

31 de março de 2021 | 00h50

FERNANDO CAPEZ. FOTO: DANIELA RAMIRO/ESTADÃO

FERNANDO CAPEZ. FOTO: DANIELA RAMIRO/ESTADÃO

Fernando Capez, do Procon SP, resolveu notificar a Caixa. O órgão de defesa do consumidor quer que a instituição financeira explique por que não identificou o ganhador da Mega da Virada até agora. O sorteio foi feito no último dia de 2020 e o prazo final para retirada vence depois de três meses. Isto é… hoje.  

 Confusão 

Consultada, a Caixa informa que, por lei, não pode acionar e identificar proativamente ganhadores de concursos das Loterias.  

 Confusão 2 

 Vale a pergunta de Capez: sua iniciativa, requerendo que a instituição financeira vá atrás de quem venceu, adianta? “Se é possível a identificação do apostador, a Caixa não pode comodamente aguardar o decurso do prazo e se apropriar do dinheiro.  

 E caso o apostador esteja morto, segundo o diretor executivo do Procon, o prêmio pertence aos seus herdeiros.

ADENDO: A Caixa informa que não se apropria do dinheiro.  O prêmio vai para a FIES. Nunca fica com a Caixa quando o vencedor não aparece.

 

 

 

Versão  

Bolsonaro, segundo se apurou, queria nomear o almirante Flávio Rocha, mas a Marinha vetou. Rochinha, como é conhecido, é oficial da ativa e a pasta enterrou a possibilidade de ter um “Pazuello dos mares”: para virar chanceler, Rocha teria de pedir passagem para a reserva e o almirante preferiu a carreira naval.  

 Versão 2 

 Como prêmio de consolação, Rocha indicou o novo ministro Carlos França. Pode ser que o almirante se torne uma  espécie de eminência parda.

Não gostou 

O príncipe D. João Henrique de Orleans e Bragança – mais conhecido como Dom Joãozinho – pede para registrar seu “total repúdio” ao projeto de transformação da finalidade do Museu Nacional.  

 E justifica: “D. João VI criou o museu em 1818 para que nosso País tivesse um centro de referência e pesquisa sobre a identidade brasileira na arqueologia, geologia e história natural, entre outras ciências”. 

 Não gostou 2 

 O fotógrafo diz que se o atual projeto  for modificado, no sentido de “reconstruir e manter a finalidade para a qual D. Pedro I e D. Pedro II tanto se empenharam”, podem contar com ele.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.