Prisão de velejadores é anulada em Cabo Verde

Prisão de velejadores é anulada em Cabo Verde

Sonia Racy

19 Janeiro 2019 | 10h34


VELEJADORES EM CABO VERDE. ARQUIVO PESSOAL

A Justiça de Cabo Verde anulou a decisão tomada em Primeira Instância que sentenciou a 10 anos de cadeia os três velejadores brasileiros detidos sob acusação de tráfico de drogas. A medida foi informada aos advogados dos três — Daniel Dantas, Daniel Guerra e Rodrigo Dantas –, além do francês Olivier Thomas, na manhã de ontem, sexta-feira. O tribunal de Segunda Instância mandou voltar o processo à Primeira, para que  todas as testemunhas sejam ouvidas.

“Na segunda-feira saberemos dos desdobramentos dessa decisão”, disse à coluna Barbara Dantas, irmã de Daniel Dantas. A esperança dela, e dos quatro, é que todos possam aguardar em liberdade o andamento do processo — no caso, obrigados a manter-se em São Vicente do Mindelo, na ilha  de São Vicente.  Em decisão anterior, Daniel Dantas já havia sido absolvido das acusações.

Os quatro foram detidos pela polícia no litoral de Cabo Verde, em março do ano passado, em um barco que chegava do Brasil. No seu interior foi descoberto, em um fundo falso, um carregamento de cerca de uma tonelada de cocaína. Segundo os velejadores, eles haviam sido contratados pelo dono da embarcação, um inglês,  apenas para atravessar o Atlântico levando-a até Cabo Verde, e não tinham conhecimento de que havia dentro dela uma carga irregular escondida.

Leia mais notas da coluna:
Fux podia ter liquidado caso, dizem juristas
Tripoli será secretário executivo de Covas