Prêmio da Unesco vai para Fundação no Amazonas

Sonia Racy

17 de outubro de 2019 | 00h30

 

Depois de perder verbas no início do governo Bolsonaro – foi uma das atingidas na polêmica do Planalto com a Alemanha e a Noruega –, a Fundação Amazonas Sustentável vira o jogo: acaba de ganhar, como antecipou ontem a coluna, o Prêmio Unesco de Educação 2019.

É a primeira instituição social do continente a receber o título. Ganhará US$ 50 mil, que a Unesco entrega dia 15 de novembro, em Paris.

Tomou gosto

João Amoedo bateu o martelo: Fred Luz, ex-CEO do Flamengo, será candidato do Novo a prefeito no Rio. O lançamento será neste sábado. Bernardinho, técnico de vôlei que quase disputou o governo carioca em 2018, prestigiará o evento ao lado do presidente do Novo.

Ao todo, o partido terá 70 candidatos a prefeito no Brasil. Em 2016, foram cinco.

Uma guerra pelo acordo

A proximidade da data-limite para responder à proposta de acordo coletivo de trabalho com a Petrobrás – apresentada pelo TST – na quarta que vem, 23, está levando alguns sindicatos dos petroleiros a agir mais fortemente.

No Espírito Santo, o resultado da última assembleia foi favorável à proposta. O site do sindicato publicou coisa diferente, foi advertido e corrigiu. Em Manaus, onde houve também aprovação da proposta, o sindicato convocou mais duas assembleias fora do edital – o que contraria as regras.

Acordo 2

Na região do litoral paulista, os empregados com cargos gerenciais tiveram que apelar à Justiça para conseguir votar na assembleia, direito assegurado pela Constituição. Segundo fonte que participa do processo, houve até fato inusitado: convocação de aposentados para decidir a greve.

 

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.