Pra lá de Teerã

Redação

22 de março de 2009 | 06h00

Por um cargo de desembargador se faz de tudo. Um advogado informou ao TJ paulista, ao se candidatar ao posto, que havia prestado serviços ao Consulado do Domínio de Melquizedek.

Um conselheiro do TJ, Horácio Bernardes Neto, descobriu que tal coisa não existe e quer punir o candidato. Que garante tratar-se de um Estado reconhecido… na internet.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.