Portas abertas

Sonia Racy

10 de abril de 2015 | 01h06

Quem vê com bons olhos a decisão do Brasil de se aproximar da OCDE, por meio de um acordo de cooperação econômica, é Joaquim Levy.

O ministro acredita que a sinalização permitirá dar sinergia a muitas atividades que os diversos ministérios vêm desenvolvendo com países da organização. E pode ajudar também na agenda microeconômica.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: