Ponto a favor 

Sonia Racy

28 de fevereiro de 2016 | 00h18

A Trussardi brasileira, que usa o nome desde os anos 50, ganhou o direito de mantê-lo no País.

Por unanimidade, o STJ rejeitou pedido do grupo italiano do mesmo nome, que se dizia “usurpado” em seus direitos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.