Polêmica fashion

Sonia Racy

23 de agosto de 2013 | 01h01

Além de Pedro Lourenço, Alexandre Herchcovitch e Ronaldo Fraga também receberam autorização do governo para captar R$ 2,6 milhões e R$ 2 milhões, respectivamente, via Lei Rouanet, para viabilizar desfiles.

Com apoio de Marta Suplicy. “Incluí o setor na lei com base em quatro eixos: internacionalização, criação de simbologia brasileira, formação de novos estilistas e preservação de acervos”. Ela diz que os desfiles de Lourenço na Semana de Moda de Paris “renderão ao Brasil uma imagem boa em tempos de registros, lá fora, de manifestações e violência”.

Fashion 2

Por que reverteu a decisão do CNIC, que votou contra o projeto? “Achei que os conselheiros não entenderam a importância da internacionalização no sentido de mudar o País.” É legal? “Absolutamente regular. O ministro tem direito de decidir quando se trata de uma política de Estado.”

Fashion 3

Em meio à polêmica, Lourenço justifica: “Há três anos represento o Brasil na Semana de Moda de Paris por conta própria, sem nenhum investidor, e enfrentei muitas dificuldades”.

Já tem patrocinador? “Estou aberto a propostas”, diz, fazendo questão de parabenizar a ministra por sua iniciativa. E diz esperar que a próxima geração da moda tenha mais incentivos do governo – “como acontece no mundo inteiro”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: