Pianista cria curso de música a distância para crianças carentes

Pianista cria curso de música a distância para crianças carentes

Marcela Paes

19 de março de 2021 | 00h45

A pianista Juliana D’Agostini. Foto: Arquivo Pessoal

Juliana D’Agostini costumava frequentar comunidades mais pobres por conta de suas parcerias musicais com artistas do rap, mas foi em 2016 – com o nascimento de seu primeiro filho – que a pianista resolveu implementar uma ideia que já nutria há tempos: criar cursos de música para crianças com poucos recursos.

“Eu percebi que seria transformador ter um sistema para mais crianças do País terem acesso a este conhecimento. Desenvolvemos cursos de instrumentalização, musicalização, canto orfeônico, história dos ritmos brasileiros e de ensino de música para surdos, entre outras coisas”.

Graduada em piano pela USP, a paulistana de 34 anos sonha alto e tem como modelo ninguém menos que Villa-Lobos. “Ele implementou em 1932 um sistema de educação musical que se tornou obrigatório por lei, em todo território nacional. Pretendemos dar continuidade a esse trabalho”.

Para isso, a pianista e sua equipe formularam, durante o ano passado, material didático voltado à capacitação de professores de diversas instituições. A primeira parceria oficial com uma escola pública saiu este ano, na Escola de Artes, em Jaguariúna “Montamos salas e também aprofundamos o sistema de aulas a distância, que serão maioria este ano. Só nessa escola são 2500 alunos”, diz

Mas é possível ensinar música a distância? No método de Juliana, sim. “Criamos um sistema de ensino que não necessita prática instrumental, proporcionando assim um primeiro contato com atividades musicais que melhoram o processo cognitivo.”

Quando a pandemia permitir o retorno das aulas presenciais, as crianças do curso poderão utilizar os onze pianos elétricos disponibilizados para o aprendizado.

Em abril, a pianista estreia na televisão. Levará a segunda temporada de O Piano Mágico da Ju do YouTube para a grade da TV Cultura. “Nele vivo aventuras com gênios da música, cantamos, dançamos e, de forma descontraída, transmitimos cultura para as crianças e suas famílias.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.