Petrobrás não poderia mudar

Redação

13 de maio de 2009 | 08h18

Se a Petrobrás errou mesmo na sua contabilidade e se a Receita abrir processo para investigar, como fica a situação do ministro Guido Mantega, que é membro do seu conselho de administração e, hierarquicamente, o responsável pela RF? Indagado a respeito, Everardo Maciel, ex-secretário da RF, evitou entrar nessa seara.

Mas esclareceu algo importante: uma empresa, para fazer sua declaração de imposto renda, pode, sim, adotar o regime de caixa ou o de competência, desde que o faça pelo ano inteiro. Isso não muda nada, tem a ver com fluxo financeiro e não com o resultado final. “O que ela não pode é mudar de ideia no meio do ano”, explica Maciel, que foi o autor dessa “facilitação” numa MP de 1999, logo depois da adoção do regime de câmbio flutuante.

Bom, pelo que se sabe, a Petrobrás mudou sim de ideia no último trimestre.

Veja também:
mais imagensOca comemora o Ano da França no Brasil com exposição Mulheres do Planeta, de Titouan Lamazou
mais imagensMuseu da Língua Portuguesa recebe exposição O Francês em todos os tempos no Brasil
documentoOutras notas no blog da coluna Direto da Fonte

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.