Pela paz olímpica

Sonia Racy

16 de agosto de 2016 | 00h40

O Brasil “rechaça e condena o terrorismo em todas as suas formas” e o mundo não pode esquecer crimes como o massacre de Munique de 1972, no qual 11 atletas israelenses “foram covardemente assassinados”.

Foi nesses termos o discurso de Serra, domingo, no Rio, durante homenagem às vítimas daquele atentado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: