Produtor de ‘PCC: Poder Secreto’ conta como a facção virou série com estreia nesta quinta

Produtor de ‘PCC: Poder Secreto’ conta como a facção virou série com estreia nesta quinta

Paula Bonelli

25 de maio de 2022 | 18h24

Gustavo Mello. Foto: Marcus Leoni

Gustavo Mello. Foto: Marcus Leoni

A nova aposta de Gustavo Mello, produtor da Boutique Filmes, é uma minissérie que estreia nesta quinta-feira, dia 26, na HBO MAX sobre o Primeiro Comando da Capital. Com quatro capítulos, narra a história da facção. Ouve agentes carcerários, ex-membros do PCC e seus familiares. Autoridades do Ministério Público e da Polícia Federal, que acompanharam investigações relativas ao PCC, compartilham no documentário suas visões de como a facção funciona por dentro.

A série traz um ângulo diferente, segundo Gustavo, mostrando o PCC por meio das “suas lógicas internas, códigos de conduta e estruturas”.  O livro “Irmãos”, do sociólogo Gabriel Feltran, serviu de base para o filme. Nesse sentido, o produtor diz que o PCC “precisa ser entendido além dos crimes, que são importantes”, mas consiste em um fenômeno mais complexo “presente nas dinâmicas sociais da periferia de São Paulo”.

Denominada “PCC: Poder Secreto”, com direção de Joel Zito Araújo, a minissérie trata também da trajetória histórica da facção que se expandiu pelo Brasil e chegou ao Paraguai. Nasceu nas cadeias paulistas, em 1993. Revelou-se em megarrebelião de 2001. Realizou diversos ataques a ônibus e postos de polícia em maio de 2006 em São Paulo.

No mercado audiovisual, Gustavo diz que foca em histórias “eletrizantes” e “temas de grande impacto no público brasileiro”. Entre as produções que liderou está “Elize Matsunaga – Era uma vez um Crime”. A Boutique também desenvolveu “3%”. Agora a produtora realiza outra série inspirada no livro “Rota 66”, do jornalista Caco Barcellos.

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.