Paulo Bernardo é indiciado na operação Custo Brasil

Paulo Bernardo é indiciado na operação Custo Brasil

Sonia Racy

26 Julho 2016 | 15h19

FOTO: ANDRE DUSEK/ESTADÃO

FOTO: ANDRE DUSEK/ESTADÃO

O ex-ministro Paulo Bernardo e outras 30 pessoas foram indiciadas, ontem, na operação Custo Brasil. A ação deflagrada pela Polícia Federal investiga esquema que desviou R$ 100 milhões de funcionários públicos que contrataram empréstimos consignados.

Segundo as investigações, o Grupo Consist, gestor do crédito, cobrava a mais do que o devido. Depois, repassava metade do faturamento para o PT e políticos aliados. Parte dos recursos teria sido usada para pagar despesas pessoais de Bernardo e da mulher dele, a senadora Gleisi Hoffmann.

Entre os 30 indiciados, além de Paulo Bernardo, estão o ex-tesoureiro do PT Paulo Ferreira, o advogado Guilherme Gonçalves e Carlos Roberto Cortegôso —  conhecido como “garçom do Lula” por ter tralhado em restaurante de São Bernardo do Campo frequentado pelo ex-presidente.

Em maio, o ex-ministro e Gleisi foram denunciados ao STF acusados de receber R$ 1 milhão do esquema de propinas instalado na Petrobrás. Os dois estão citados na delação de Alberto Yousseff.