Patologia

Sonia Racy

26 de junho de 2010 | 06h08

Após o incêndio no Instituto Butantã, pesquisadores de outros centros estão preocupados em perder seus trabalhos para o fogo. O prédio do Instituto Biológico, por exemplo, não tem brigada de incêndio, nem portas corta-fogo. Parte da rede elétrica é antiga e fica exposta. Há laboratórios em que não se pode ligar dois aparelhos elétricos de uma vez, pois a energia cai.

Também falta acessibilidade. Com sete andares e cerca de 120 servidores, conta apenas com dois elevadores da década de 40, que apresentam problemas quase que semanalmente.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.